Select Menu

Demorou um pouco, mais chegou a nossa vez. A partir do próximo domingo, dia 2 de novembro, os números dos telefones celulares dos Estados do Amazonas, Amapá, Maranhão, Pará e Roraima terão o dígito 9 acrescido à frente dos números atuais. Primeiro fora os estados do Sudeste, e por último "como sempre", o povo da floresta. E eu e você nos perguntamos: Pra quê mais um número? Pois é... Pra quê.

Segundo as informações oficiais é para  "ampliar os recursos de numeração para o Serviço Móvel Pessoal". Com a palavra a  Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A agência, inclusive, realizará às 11 horas de amanhã uma entrevista coletiva para falar a respeito da implementação do nono dígito nos celulares nesses novos Estados. 

Se vai ampliar os recursos e melhorar a telefonia celular eu não sei, mas que vai dar uma trabalheira para mudar a agenda do telefone, vai... Sabe porquê? No momento da discagem, o nono dígito deverá ser acrescentado por todos os usuários de telefone fixo e móvel que liguem para telefones móveis dos Estados do Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará e Roraima, independentemente do local de origem da chamada.

O que não é de tudo ruim nessa transição é que por um tempo determinado as ligações discadas com oito dígitos ainda serão completadas, para adaptação das redes e dos usuários. Gradualmente, haverá interceptações das chamadas e os usuários receberão mensagens com orientações sobre a nova forma de discagem. Após esse período de transição, as chamadas marcadas com oito dígitos não serão mais completadas. 


Pois é, nada pior do que logo após uma eleição o governo federal anunciar um aumento nas tarifas de energia elétrica. Aquela esperança levada pela propaganda eleitoral de problemas solucionados cai para a dura realidade e povo volta a sentir o amargor das medidas da inflação. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta quarta-feira(29) uma série de aumentos de tarifas de energia. Aqui para os amazonenses, e consequentemente os coarienses a realidade do aumento pegou todo mundo de surpresa.

A Aneel autorizou, a partir de 1º de novembro, aumento médio de 18,62% na conta de luz dos consumidores atendidos pela Amazonas Distribuidora de Energia,  distribuidora que atende a 700 mil unidades no estado do Amazonas. Para os consumidores residenciais, haverá reajuste de 15,57%. O efeito médio para consumidores de baixa tensão será 15,83%, e para os de alta tensão, em geral indústrias, 22,63%. A justificativa para o aumento é a seguinte: "colaboraram para o aumento das tarifas o aumento nos valores pagos pelas distribuidoras para compra e transmissão de energia, além de pagamento de encargos setoriais".  Resta saber se os serviços vão melhorar, pois de vez em quando, o povo que paga energia mais cara fica no escuro.


São 12 máquinas pesadas trabalhando na Estrada Coari-Itapéua para recuperar trechos e áreas que estavam intrafegáveis e que dificultavam a vida dos agricultores e trabalhadores dos ramais, sítios da Estrada e das comunidades do Saubinha e Itapéua. O trabalho vem avançando do Km 21 até a saída na cidade em uma ação emergencial com o uso de calcário até que seja utilizado o asfalto na conclusão dos trabalhos. O objetivo da Prefeitura é facilitar o escoamento da produção e o transporte dos moradores da região.






Internautas vinculam suas contas no Facebook ao site "Nordestino, sim" para demonstrar orgulho da região
O recado era direto: "Diga ao mundo: sou nordestino, sim". A resposta foi rápida: na base do boca a boca, mais de 1,7 mil moradores de Estados como Sergipe, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Norte, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais aceitaram o chamado.
Eles associaram suas fotografias ao site "Nordestinos Sim" (http://nordestinosim.com.br/), criado há menos de três semanas para celebrar, por meio de um mosaico de diferentes cores, idades e gêneros, o orgulho de quem nasce na região.
Lançado em 8 de outubro, o site ganhou fôlego durante a onda de mensagens discriminatórias publicadas nas redes sociais na reta final das eleições. E não foi só ele.
Em resposta a mensagens como "só foram feitos para comer farinha, fazer filho e ganhar Bolsa Família", outras manifestações de defesa à cultura e aos cidadãos nordestinos se espalharam pelas redes.
Caso da hashtag #SouDoNordesteMesmoEComOrgulho, que em menos de uma semana foi compartilhada mais de 100 mil vezes e ganhou adeptos como o escritor Paulo Coelho e o rapper MV Bill. Logo após a divulgação do resultado das eleições, no domingo, a frase chegou ao topo da lista de assuntos mais discutidos no Twitter em todo o mundo.

'Unir rostos'

"O ódio a determinadas regiões, origens, classes sociais não leva a lugar nenhum. Nossa ideia então foi unir nossos rostos para promover união", explica o publicitário sergipano Ricardo Cardoso, criador do projeto "Nordestinos sim".
Ele diz que o site não visa estimular rivalidades, mas convidar brasileiros de todos os Estados a "mostrarem a cara e registrar que somos todos iguais, com os mesmos defeitos e qualidades".
Mais do que conquistar adeptos no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país, o "Nordestinos sim" também reúne imagens de brasileiros que vivem nos Estados Unidos, Espanha, Itália, Argentina, Alemanha, Austrália, Angola, Luxemburgo e França.
A modelo Daniele Magalhães, que nasceu em Aracaju e mora no interior de Minas Gerais, é uma delas. Ao #SalaSocial, ela afirmou ter feito questão de mostrar suas origens depois de ler em sua timeline comentários pejorativos sobre o voto de seus conterrâneos.
Danielle Magalhães diz que, após ler frases de preconceito, "mais do que nunca se orgulha por ser a nordestina que é"
"Não costumo discutir política, e não discuti em momento algum, mas a verdade é que fiz questão de deixar claro minha indignação com a forma arrogante que algumas pessoas se referiam aos nordestinos", diz.
"Algumas pessoas não sabiam de onde eu venho", afirma Magalhães, que não se abateu pelos comentários. "Sim, hoje mais do que nunca eu me orgulho por ser a nordestina que sou".

Direitos humanos

Para Camila Lippi, professora da Universidade Federal do Amapá e coordenadora o Observatório Amazônico de Direitos Humanos, o direito à liberdade de expressão - argumento de muitos para manifestações preconceituosas - tem limites.
"Qualquer sociedade democrática precisa respeitar e defender os direitos de grupos políticos, étnicos, sexuais, quais forem", diz. "Isso está nos tratados internacionais de direitos humanos: eles proíbem apologia ao ódio, como proíbem propaganda a favor de guerras."
A professora, que diz ter ficado surpresa com o nível das campanhas no Rio de Janeiro, onde esteve no fim de semana eleitoral, afirma que as manifestações na internet reproduzem discursos cotidianos de ódio.
"Eles são proferidos diariamente por muitos nas ruas, sem que o autor se dê conta que está falando de seus vizinhos, seus colegas de trabalho, seus amigos", afirma.
Na opinião da especialista em redes sociais Anna Haddad, a discussão tem aspectos "superpositivos para uma sociedade pouco politizada como a brasileira".
"Esse fenômeno traz um movimento importante. As pessoas acompanham os comentários, ouvem opiniões distintas e isso estimula a busca por educação política.
Essa interação enorme ajuda a construir novas reflexões, destruir velhos paradigmas, e traz efeitos vão desde um like ou comentário novos, até uma crítica inesperada, a criação de novos movimentos políticos, a criação de um novo partido", diz.

'Nordestinos simbólicos'

A onda trouxe à tona "nordestinos de coração" - gente nascida longe dali, mas que declara amor a suas tradições - e promoveu encontros inesperados, como entre o escritor Paulo Coelho e o rapper MV Bill.
"Nasci no Rio, e mesmo assim #SouDoNordesteMesmoEComOrgulho (por sinal, mal acabou eleição e começou divisão/preconceito?)", tuitou Coelho, compartilhado por mais de 700 pessoas.
Bill mostrou pensar parecido: "Nasci no Sudeste,mas tenho parentes e amigos no Norte e Nordeste, me sinto privilegiado por isso", escreveu.
O professor de inglês carioca Alexandre Marques trocou sua foto no Facebook por uma imagem em que aparece com um chapéu parecido com os usados pelo cangaceiro Lampião.
"Não tem muito a ver com orgulho o que fiz", diz. "Acho que o único orgulho que realmente vale é o orgulho de compartilhamos uma sociedade que não dê voz a esse tipo de discurso discriminatório", afirma.
FONTE: BBC BRASIL
Melo foi reeleito com 55,54%; Braga obteve 44,46% dos votos válidos. Eduardo Braga venceu em 24 cidades do interior do estado.
Confira abaixo respostas a algumas das dúvidas mais frequentes de eleitores.

O eleitor que não votou nem justificou no primeiro turno pode votar no segundo turno?
Sim. O eleitor pode votar normalmente no segundo turno, mesmo que não tenha votado no primeiro.

É necessário justificar a falta no primeiro turno?
Sim, pois a Justiça Eleitoral considera cada turno como uma votação. Caso o eleitor não entregue o requerimento de justificativa no dia da votação, ele deve apresentá-lo pessoalmente em qualquer cartório eleitoral ou enviá-lo, por via postal,  ao juiz da zona eleitoral onde é inscrito, até dois meses após o turno da votação. A justificativa é válida somente para o turno ao qual o eleitor não compareceu. Assim, se o eleitor deixou de votar no primeiro e no segundo turno da eleição, terá de justificar sua ausência para cada turno, separadamente.

Qual é a punição para quem não votar e não justificar a ausência?
Para quem perde o prazo da justificativa, a Justiça Eleitoral aplica uma multa, de aproximadamente R$ 3, mas pode ser multiplicada até por dez vezes, de acordo com decisão do juiz eleitoral. Quem deixar de votar e justificar por três votações seguidas (cada turno é considerado uma votação), tem o título de eleitor suspenso.

Quais são as consequências para quem tem o título suspenso?
A pessoa fica impedida de assumir cargo público. Os empregados no serviço público não podem receber salário. Não é possível obter empréstimos em bancos mantidos pelo governo, tirar passaporte, carteira de identidade, nem renovar matrícula em estabelecimento público de ensino. Também não pode votar.

Como fazer para regularizar a situação eleitoral?
Basta procurar um cartório eleitoral e quitar os débitos. O prazo para regularizar a situação eleitoral a tempo de votar nestas eleições era 7 de maio. Quem não regularizou o título até essa data não poderá votar nestas eleições.

Quem é obrigado a votar?
O voto é obrigatório para todos os brasileiros com mais de 18 anos e menos de 70. Pessoas que nasceram em outro país, mas se naturalizaram como brasileiros, também são obrigadas a votar. Para quem tem entre 16 e 18 anos e para quem tem mais de 70, o voto é facultativo, assim como para os analfabetos.

Quem ainda não tirou o título de eleitor ou está com título cancelado poderá votar nestas eleições?
Não. Para votar, é necessário ter tirado o título de eleitor ou ter regularizado a situação até o dia 7 de maio. Se sua região estiver contemplada pela biometria, é preciso ter cadastrado as digitais para identificação biométrica.

Quando o título eleitoral é cancelado?
O título de eleitor pode ser cancelado pela Justiça Eleitoral em algumas situações. Por exemplo, quando a pessoa deixa de votar e não justifica a ausência em três votações seguidas (a Justiça eleitoral considera cada turno como uma votação), quando há suspeita de duplicidade do título e quando o eleitor não comparece à revisão de eleitorado. Clique aqui para verificar a situação do seu título.

Ainda dá tempo de transferir meu título de cidade?
Não. O prazo para pedir transferência de domicílio eleitoral acabou em 7 de maio. Para votar nestas eleições, o eleitor que se mudou terá que comparecer à cidade onde está registrado seu título. Outra opção é o voto em trânsito nas cidades com mais de 200 mil eleitores, cujo prazo de solicitação terminou em 21 de agosto.

Haverá identificação biométrica em todas as cidades?
Não, a identificação do eleitor por meio das impressões digitais nas eleições de outubro será realizada em quase 800 municípios do país, entre eles 15 capitais. A identificação biométrica vai ser usada por aproximadamente 21 milhões brasileiros, cerca de 15% do eleitorado brasileiro.

Como faço para saber meu local de votação?
O TSE oferece na página da internet a consulta dos locais onde cada eleitor votará. O endereço é este: http://www.tse.jus.br/eleitor/titulo-e-local-de-votacao/consulta-por-nome. É necessário preencher o nome completo, a data de nascimento e o nome da mãe. Se persistir a dúvida, o eleitor deve procurar o cartório eleitoral da região.

Quem mora no exterior também deve votar?
O eleitor que morar fora e tiver o título eleitoral cadastrado no exterior é obrigado a votar para presidente da República, em postos nas embaixadas e consulados. Aqueles que moram no exterior, mas têm domicílio eleitoral no Brasil, devem justificar a ausência até um mês depois de retornar ao Brasil.

E quem estiver viajando no dia das eleições?
Os eleitores que estiverem fora de seu domicílio eleitoral no dia da votação, seja em viagem no Brasil ou no exterior, podem votar em trânsito se estiver em alguma cidade com mais de 200 mil eleitores - o prazo para fazer a solicitação acabou em 21 de agosto - ou devem justificar a ausência. Os cartórios eleitorais deixam à disposição dos eleitores os formulários de justificativa. O formulário Requerimento de Justificativa Eleitoral também pode ser obtido no site do TSE (dois requerimentos: para o dia da eleição e depois da eleição). O prazo para justificativa é de até dois meses depois da votação. No caso de quem ainda estiver no exterior mesmo depois de decorridos os dois meses, o prazo para justificar passa a ser de um mês após o retorno ao Brasil.

Quais documentos são necessários para votar?
O eleitor deve levar para o dia da votação pelo menos um documento de identificação com foto. Serve carteira de motorista, carteira de identidade, carteira de trabalho ou passaporte. Levar o título de eleitor não é obrigatório. Mesmo com o título em mãos, o eleitor deve apresentar também o documento de identificação com foto.

Qual são os dias e horários da votação?
O segundo turno será no dia 26 de outubro. A votação começa às 8h e termina às 17h no horário local. Quem já estiver na fila às 17h vai poder votar, mesmo se chegar à urna depois desse horário.



A presidente Dilma Rousseff (PT) tem 52% das intenções de votos válidos (excluídos brancos e nulos), contra 48% de Aécio Neves (PSDB), aponta pesquisa Datafolha sobre a corrida presidencial divulgada nesta quarta-feira pelo jornal Folha de S. Paulo. A quatro dias da eleição, o levantamento mostra um cenário inalterado em relação ao da pesquisa divulgada na segunda-feira. O resultado indica um empate técnico no limite da margem de erro de dois pontos, mas com a petista numericamente à frente do tucano.

Leia também:

Levando em conta os votos totais, Dilma oscilou de 46% para 47% e Aécio manteve os 43% da última pesquisa. O número de pessoas que pretende votar nulo ou em branco foi de 5% para 6%, enquanto o índice de indecisos caiu de 6% para 4%. O Datafolha também apurou a confiança de eleitores petistas e tucanos. Entre os que vão votar em Dilma, 82% acham que a candidata será reeleita. No grupo dos que votam em Aécio, 78% acreditam que ele será o vencedor.

O instituto ouviu 4.355 eleitores em 256 municípios nesta terça-feira. A pesquisa está registrada no TSE sob o protocolo BR-01160/2014.

Cerca de 30% do trabalho de escavação e instalação do cabo óptico, de responsabilidade da  Embratel já foi realizado. Ao todo são 16 km de cabo que devem levar a internet do City Gate da Petrobras, na Estrada Coari Mamiá até a instalação do provedor que fica no prédio da Prefeitura de Coari. O projeto que faz parte do Cidades Digital vai possibilitar o acesso do município de Coari a internet banda larga através do cabo de fibra óptica do gasoduto Coari- Manaus.   

Além da interligação deste cabo que vai tirar Coari do isolamento, o projeto cidades digital também já instalou um anel de fibra óptica em toda a cidade através da rede de posteamento da Amazonas Energia. Já estão disponíveis 23 pontos para instituições publicas que poderão receber o sinal da rede e 3 pontos públicos para o acesso sem fio do público em geral. Após a conclusão da instalação do cabo da Telebras, que vai interligar a rede ao ponto de acesso de internet fora de Coari, o próximo passo será a iluminação do cabo, o que significa dizer que o sinal de internet será transmitido à partir desta providência, o que ainda não tem prazo para acontecer.

As projeções para que isto aconteça são as mais breves possíveis, o que entra como contra partida do município de Coari através da PRODAM, possível parceiro para que de fato se efetive a interligação do sinal de internet. A partir daí, com o recebimento da internet através de alta velocidade, os coarienses poderão sair do isolamento e da dependência da internet lenta, o que abre um leque de opções para melhorar os serviços públicos e particulares nesta área.

Novas viaturas serão entregues para que sejam utilizadas pelos Conselheiros Tutelares em Coari. Os carros enviados pelo Governo Federal chegaram esta semana e serão entregues oficialmente pela Prefeitura de Coari.  

A emoção tomou conta das mais de 30 mil pessoas que se reuniram na noite desta quinta-feira (16/10), no Monte das Oliveiras (Zona Norte) para ouvir os discursos do senador Eduardo Braga, candidato ao Governo do Estado pela coligação “Renovação e Experiência”, e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Eduardo Braga falou da chuva que caiu em Manaus durante todo o dia no início de seu discurso. “Desde a madrugada choveu. Parece que São Pedro estava lavando a cidade para receber o eterno presidente de todos nós, o presidente Lula”, afirmou, declarando-se fã incondicional do ex-presidente. “Ainda há pouco pedi para fazer um selfie com ele. Ele me perguntou: ‘Tu também?’”.

O sonho de ver um Amazonas próspero, com emprego e renda para seus cidadãos também fez parte do discurso de Braga. “Na época dos Tucanos, o que nós tínhamos era uma Zona Franca enfraquecida. Foi preciso ter um presidente que olhasse para nós não como enteados, mas como filhos legítimos para que a Zona Franca voltasse a gerar empregos”, declarou, embasando sua fala em números: eram 35 mil empregos quando Lula chegou ao governo e 130 mil quando saiu.

Segurança, educação, moradia e saúde de qualidade também fazem parte do sonho que Eduardo Braga tem para o Amazonas e que compartilhou na noite de quinta com a multidão que se reuniu no Monte das Oliveiras para ouvi-lo. “Sonhar é fundamental e eu sonho com o Brasil que seja cada vez mais a cara do povo, a cara do Lula e a cara do Amazonas”, disse.

LULA

Quando Lula começou a falar, a multidão explodiu de emoção e alegria para ver e ouvir o “eterno presidente”, conforme dez entre dez presentes no comício. O petista pediu o voto para a reeleição de Dilma Rousseff e para a eleição de Eduardo Braga ao Governo do Estado, destacando o perfil arrojado e empreendedor e a sintonia de ambos em governar para benefício da maioria.

“O que está em jogo aqui são dois projetos de governo muito diferentes. O deles (Aecio Neves e José Melo) a gente já conhece. Mas o de Dilma e Eduardo é melhor para o Brasil e para o Amazonas”, apontou o petista, enumerando projetos de grande alcance popular que deram certo no Brasil, a exemplo do Bolsa-Família e do “Minha Casa, Minha Vida”.

“Eles diziam que  Bolsa-Família era esmola ou então era pagamento que iria criar um bando de ‘vagabundos’, sem trabalhar. Mas nós demos dignidade e poder de compra para o pobre comprar alimentos, roupas eletrodomésticos”, enumerou Lula, destacando que o Minha Casa, Minha Vida já tem 3,5 milhões de casas populares contratadas e mais de 1 milhão entregues à população em todo o Brasil.

Lula  também apontou os avanços na área da educação, principalmente em nível universitário, com os programas de financiamento Fies e Prouni. “Revolucionamos a educação do País em todos os níveis. Quando eu entrei no governo, havia três milhões de estudantes na universidade. Quando eu deixei a presidência já eram sete milhões”.

Candidata a vice-governadora de Eduardo Braga, Rebecca Garcia chamou atenção para a identidade popular de Lula. “O Lula gosta do Amazonas, assim como eu, como o Eduardo, como vocês. Ele é um homem simples, que gosta de trabalhar e conhece as demandas do povo”.


O governador e candidato à reeleição José Melo (Pros) e o candidato a vice-governador Henrique Oliveira (SD) tiveram dia de intensa mobilização de campanha nesta quinta-feira, dia 16 de outubro. Melo começou o dia reunindo com trabalhadores da empresa Coplast, no Distrito Industrial, para apresentar sua plataforma de governo. O candidato gravou o programa eleitoral, fez caminhada no bairro da Compensa II, zona oeste, no final da tarde, e à noite realiza comícios nos bairros Campo Dourado e Alfredo Nascimento, na zona norte.

Melo começou as atividades de campanha às sete da manhã. Ele tomou café da manhã com cerca de 300 trabalhadores da empresa Coplast e falou dos projetos para o futuro governo. Destacou os investimentos em saúde, com a construção do Hospital de 300 leitos da zona norte, e a ampliação de cinco hospitais da capital, além da implantação do programa Pronto Especialista, levando médicos de cinco especialidades para 14 municípios polo. O candidato do Pros disse ainda que a aquisição da Santa Casa de Misericórdia, que está em processo de desapropriação, deve contribuir para melhoria do atendimento aos pacientes que sofrem de câncer.

O governador ressaltou que seu programa de governo prevê a expansão da Fundação Cecon, com novas alas para o tratamento de radioterapia e quimioterapia, e a construção de uma nova unidade no interior do Estado. Na Santa Casa de Misericórdia, a proposta é construir um novo hospital do câncer voltado ao atendimento de crianças e adolescentes.

Depois da reunião com os trabalhadores, Melo cumpriu agenda administrativa como governador. Ao meio dia gravou o programa eleitoral. No horário da tarde fez corpo a corpo no bairro da Compensa II. Ao mesmo tempo, Henrique Oliveira fez corpo a corpo com a população no bairro Val Paraíso, na zona leste. A estratégia é multiplicar a presença da campanha na capital.

Melo disse que vai iniciar a agenda de viagens ao interior, neste final de semana. A rota da campanha inclui Boa Vista do Ramos, Urucurituba e Maués. “Esse segundo turno também será de muito trabalho e apresentação de propostas. No primeiro turno, apesar de ter sido massacrado, eu segui meu caminho de discussão de propostas e vai continuar assim. Agora a receptividade está muito maior e estou feliz porque vejo as crianças e a juventude conosco. Para mim, significa que elas veem em mim a capacidade de fazer aquilo que eles esperam para o futuro”, disse.

A mobilização de Melo no bairro da Compensa animou os moradores. O governador percorreu dezenas de ruas e foi acompanhada de perto pelos moradores. Melo pediu voto às donas de casa, falou com comerciantes, pedestres e motoristas. Na zona oeste, o governo de Omar Aziz e José Melo entregou o Centro de Convivência da Família Magdalena Arce Daou e entregou o conjunto Residencial do Prosamim do São Raimundo.

Em seu futuro governo, José Melo garantiu recursos para a construção do Prosamim do igarapé da Cachoeira Grande, no bairro do São Jorge. Além da indenização de moradores que viviam em condições insalubres, o novo espaço vai contar com quadras poliesportivas, parques urbanos, novas vias e um conjunto residencial com mais de mil apartamentos para famílias de baixa renda.

Na região, o governo de Melo deve concluir as obras do Prosamim na Bacia do São Raimundo, construindo o Parque Linear do Rio Negro na orla da cidade. O espaço será um novo cartão postal, com vistas para a Ponte que liga a capital a Iranduba. A mobilidade urbana será contemplada com a duplicação da Avenida do Turismo, que faz parte do complexo viário que vai abrir uma nova rota ligando a região portuária ao Polo Industrial de Manaus.

A candidata a vice-governadora de Eduardo Braga, Rebecca Garcia, se comprometeu, na manhã desta terça-feira (17), em lutar pela implantação do polo de encapsulamento de semicondutores em Manaus, a partir de 2015, gerando, de imediato, mais 300 empregos na cidade. Durante visita à fábrica Cal-Comp, Rebecca foi informada que a empresa já tem um projeto de expansão que compreende este setor. 

“Eu me comprometo em ajudar no que for possível para estabelecer esse polo de semicondutores aqui em Manaus. Tudo que gera emprego aqui para a nossa gente nos interessa muito”, afirmou a candidata. 

O diretor administrativo da Cal-Comp, Jimmy Shih, alegrou-se com a possibilidade de implementação do polo de semicondutores no Polo Industrial de Manaus (PIM) já no próximo ano e diz que o projeto já está adiantado.

“Ficamos honrados com a vinda da candidata em nossa empresa. Este projeto já vem sendo amadurecido há algum tempo e nossa ideia é executá-lo em 2015. Temos propostas de outros Estados, como Minas Gerais, mas seria mais viável implementarmos esse projeto aqui em Manaus, onde já estamos estabelecidos há três anos. Temos a intenção, inclusive, de firmar um sistema local de formação de mão de obra especializada em semicondutores em Manaus”, revelou o diretor.

Rebecca teve muito boa receptividade entre os funcionários da fábrica. “É sempre bom ter gente nova na política. A Rebecca Garcia representa a renovação e isso é muito saudável para os eleitores”, afirmou Juliana Sena, 22, analista de vendas.
A Cal-Comp tem duas unidades em Manaus, com 2.445 postos de trabalho, produzindo insumos eletroeletrônicos como set up box, placa-mãe, hd externo e placa de HD.